Páginas

30/04/2008

5 Quase lá


Que beleza! Isso é Libertadores! Jogo na casa do adversário e o time se impôs como se estivesse jogando no Maracanã. O Flamengo, há muito tempo, não sabe jogar fora de casa. Mas parece que vem aprendendo. O maluco do Joel poupou o Leo Moura no primeiro tempo, o Toró o jogo todo e o Juan no segundo tempo. E o cara tem tanta estrela que deu certo! Obrigado Papai Joel!!!

Vencemos bem, metemos 4 no goleiro que eliminou o vasco ano passado. Podíamos ter feito 10, sem exagero. Por alguns momentos, principalmente no gol bem anulado dos caras, achei que íamos ter que jogar aqui no Maraca correndo atrás do resultado. Acho que o arco-íris também. Aposto que todo mundo comemorou o "terceiro" gol deles.

A zaga vacilou muito. O Luizinho, lateral direito, se mostrou um grande lateral esquerdo. Nosso grande amigo Obina mais uma vez esteve iluminado. Perdeu uns lances bobos, como sempre, mas deu passe pro segundo gol e mandou a bola na trave no terceiro. Mas o grande nome do jogo só jogou meio tempo.

Leo Moura. Quer partida! O cara não vinha jogando nada desde que jogou pela seleção. Não fez um jogo bom desde então. E hoje arrebentou. Fez um belo gol, se movimentou muito bem, deu passe pra outro, e... pqp!!! Que gol que ele ia fazer. Driblou o Estádio Azteca inteiro, tirou a bola do goleiro e ela caprichosamente bateu na trave. Nada que tire o brilho de sua grande atuação.

Valeu Flamengo! Jogamos muito hoje. Libertadores é isso, espero que todos tenham aprendido a lição do ano passado, inclusive o Kleber Leite (que nunca mais me venha com Moisés, Irineu, Claiton, Roni, Ney Franco, Thiago Maconheiro, etc...). Agora, mais um jogo decisivo domingo. Vai pra cima deles Mengo!

Fernando Lima - Flamengo

4 Ainda no caso Ronaldo...



TU ÉS, TIME Q ME FAZ RIR
NA RAÇA SÓ TEM TRAVESTI
E O RONALDO É BIIII

EU, NUNCA ME CALAREI
AONDE ESTIVER GRITAREI
RONALDO É GAY!!

29/04/2008

11 Isto é Flamengo


A nova música cantada nos estádios:

E o Ronaldo
Torce pro Urubuuuuu
Gordo escroto
Gosta de viado
E de dar o c...

Fábio Sá - Fluminense


Mais uma:

Ei você aí!
Ronaldo é Flamenguista
E dá o c... pra travesti!

Manoel Flores - Vasco



Ronaldo com a camisa do Barça: Suzana Werner;
Ronaldo com a camisa do Real: Milene e Cicarelli;
Ronaldo com a camisa do Milan: Raica;
Ronaldo com a camisa do Flamengo: Carlos, Antonio e Andréia Albertine.



Gustavo Pessôa - Vasco

28/04/2008

5 Perguntas que não querem calar 2...


Aproveitando o post do meu amigo Fabio Sá, volto ao assunto "Torcida". Tem gente que diz que não ganha jogo, tem gente que diz que ganha, não vou entrar nesse mérito. Mas eu acho que o torcedor tem a obrigação de pelo menos comparecer ao estádio. Ainda mais numa final, quando nada está decidido.

Engraçada a atitude da torcida do botafogo. No jogo da Taça Rio, contra o time reserva do Flamengo, tinha mais torcedor do que ontem. Se pegássemos os torcedores da amarela do fogão e colocássemos na verde, poderíamos acomodar na amarela deles os Rubro-Negros que se espremiam do outro lado. A polícia deveria fazer isso.

Alguém lembra se alguma vez já aconteceu isso no Maraca? Eu lembro! Em 2000. No segundo jogo da final do Carioca, a torcida do Flamengo ocupou as 2 amarelas, porque o vasco tinha tomado um sacode de 3x0 no primeiro jogo, com direito a gol de Fabio Lambretinha Baiano (amigo do Sá) e Beto Cachaça.

No caso acima, justifica-se o fato da torcida não ter comparecido, assim como no segundo jogo da final de 1992 entre Flamengo e botafogo. Ontem não tinha motivo. Gostaria que algum botafoguense me explicasse. No msn de um amigo meu botafoguense, está escrito "Convocação Alvinegra". Não quero nem saber o que é isso. Mas deve ser alguma campanha pra pelo menos lotar a arquibancada verde.

Sobre o jogo de ontem, ficou clara a postura do botafogo. Os caras foram pro campo pra empatar, ficaram amarrando o jogo à espera de um contra-ataque. Eu tenho certeza que o botafogo, se ganhasse, não ganharia de mais de 1x0. O Flamengo entrou com um time escroto no meio-campo, que já tinha dado errado no jogo contra o Bolognesi.

E o Obina, como todos sabem, é iluminado. E foi iluminado de novo ontem. Agora, vamos nos concentrar nos mexicanos, que são muito mais importantes esse ano. Quinta-feira voltamos a pensar na final.

Fernando Lima - Flamengo

5 Perguntas que não querem calar...



...sobre uma torcida que não quer cantar

Esse é um mini-post, bem curto, porque o dia é dos sujismundos e não quero ocupar o espaço justamente conquistado por eles.

Na falta de um representante da graaaande torcida do fogão, sinto-me na obrigação de procurar esclarecimento imediato sobre alguns pontos:
  1. Por que só destinaram 10% dos ingressos ao canil?
  2. Por que um montão de botafoguense foi de camisa amarela pro estádio? Ou aquilo era pedaço vazio na arquibancada?! (não é possível!...)
  3. Por que o Bebeto de Freitas proibiu a torcida (?!) do graaande fogão de cantar? Superstição?
  4. Será que no segundo jogo vão permitir a venda de ingressos no Caio Martins, na cidade do fogão, lá em Niterói? Vender só na Gávea, na Febem e nos 5 “Centros de Treinamento” do Mal em Bangu é injustiça.

Poxa vida. Como é difícil torcer pro fogããão. Eu juro que tentei. Mas desisti antes da metade do segundo tempo. Pelo menos eu fui mais longe do que a enooorme massa alvinegra, que desistiu de torcer antes mesmo do começo do jogo. Domingo que vem prometo que vou tentar de novo. Antes torcer pra time pequeno do que pro Comando Vermelho (e Preto).

Saudações Tricolores
Ainda inconformado pela incompetência do domingo passado.
(Ah, se os sem-dente cruzassem com a gente na final...)

Fábio Sá - Fluminense

25/04/2008

6 Perdoar?



Perdoar esse ai?
Só depois que fizer um gol na Flor!

No Urubu já era rotina.

Chora Horcades, Branco, Renato e Unimed o sonho acabou.
Leandro agora é do Vascooooo

Não rima e não tem ritmo, mas a mensagem foi passada!
Gustavo Pessôa - Vasco

5 A Importância da Rebolada


Escrevo esse texto, após ler os comentários do post escrito pelo meu amigo Fernando Lima abaixo.

Falou bonito Lila.

É engraçado como os integrantes dessa geração vascaína - traumatizada por trocentos vices diante do maior rival, sem títulos há mais de 5 anos, sem qualquer perspectiva de gritar "é campeão" no futuro breve - se apega a essa rebolada do Edmundo em 97.

De fato, nesses últimos 11 anos, é o que há para ser lembrado: uma vitória (belíssima, por sinal, diga-se de passagem...) e um deboche numa semifinal de campeonato nacional. É isso. A única boa lembrança que essa geração tem é de uma época em que o Gustavo ainda comemorava com a "voz fina", que o cabelo do Manoel "ainda era vasto", que o termo "rivalidade" ainda fazia sentido...

Durante esse tempo, tento contar quantos títulos em seqüência, quantos olés, quantos bis, quantos tris, quantos "vice de novo" gritados, quantas estátuas vascaínas ganhando vida e clamando que “a torcida do Flamengo é de outro planeta”, quantos títulos estaduais e nacionais foram mais significativos, mais motivo de zoação do que a rebolada de 97. Não dá pra quantificar.

Hoje, pra nós flamenguistas, disputar algo com o Vasco é um exercício de manutenção. Ganhar do Vasco não dá mais a sensação de vitória, mas de cumprimento de nossa obrigação.

Gustavo, vascaíno de todo o Brasil, acredite: para nós, essa rotina também é uma merda!

Sorte a nossa que ainda temos outros caminhos para curtir com a cara de vocês, né? Afinal, vocês mantêm a “rivalidade” viva nos nossos confrontos com seus times postiços. O Botafogo, o Palmeiras, o Cel. Bolonhesa, os uruguaios e argentinos na Libertadores etc etc etc....

Não, acredite! Não é a mesma coisa! Vê-los agoniados por cada etapa escalada rumo ao bi-campeonato da América, por exemplo, não é como ganhar esse título em cima de vocês. Eu sei que os tricolores podem nos dar essa alegria, mas ganhar de time grande é sempre melhor. E, até que vocês entreguem os pontos, o Vasco ainda é time grande!


Eu sei. No início, falei que o apego à rebolada era “engraçado”, mas é óbvio que eu entendo. Em terra de desdentado, quem tem um dente o escova direitinho. A tal rebolada é tão importante para a geração de vocês, quanto para a nossa! Ela mantém viva a rivalidade que nos motiva a escrever nesse espaço!

Sugiro uma nova estátua. Obviamente, amordaçada para não sair zombando de vocês por aí. Mas uma estátua que, dia após dia, década após década de jejum, vice após vice, nos lembre que Flamengo X Vasco ainda é um clássico, uma rivalidade!

Traumatizados e Traumatizadores, uni-vos!
João Paulo Sá - Flamengo

23/04/2008

11 Goleiro artilheiro? Nunca terão!


Eu não costumo guardar mensagens de celular. A do título acima, como sempre, deletei. Porém, ela ficou na memória. Lembro que recebi no jogo Flamengo x Cienciano. O Bruno correu pra bater uma falta e isolou. O Thiago tinha acabado de fazer um gol no fim de semana contra um pangaré qualquer (de pênalti, até o Gustavo) no Campeonato Carioca (campeonato que o vasco já está fora, desde 2003).

Hoje eu fui no jogo. Cheguei de viagem às 17:30, cansado pra chuchu depois de 6 horas de viagem, metade delas pelo menos dirigindo. Mas algo me dizia que eu tinha que ir nesse jogo. Como estava no interior de São Paulo, nem sabia que tava rolando jogo de basquete. Ganhamos. E a vitória no jogo de 19:30 era certa também. Mas a arco-íris tava secando muito.

Eu gosto de sentar na arquibancada no intervalo. Não naqueles assentos vagabundos, mas no cimentão, na escada. Porém, hoje, não pude tomar minha cerveja do intervalo sossegado. A arquibancada estava cheia de um pó branco escroto e eliminado. Enfim, espero que limpem essa merda até domingo.

Voltando ao jogo, estava com um amigo da TV Esporte Interativo quando o Bruno se apresentou pra bater a falta. Menos de cinco minutos antes o Juan foi cobrar uma e eu avisei: "Vai passar rente à trave e vão achar que ele é um bom cobrador de faltas." Não deu outra. Na hora da cobrança do Bruno esse meu amigo, famoso organizador da pelada, falou: "O Bruno NUNCA vai fazer esse gol." Da mesma maneira que ele falou que nunca perde pênalti e perdeu 3 seguidos...


E o Bruno fez o gol. E eu imagino a cara do vascaíno que me mandou a mensagem do título, porque gol de pênalti é muito fácil, e ele deve ter cansado de se esgoelar em São Januário pedindo pro Thiago cobrar uma falta. Uma pena. O primeiro goleiro do Rio a fazer gol de falta foi o Bruno. A primeira mensagem depois do gol logicamente foi pra ele. A segunda pra outro vascaíno. E a terceira pro Gustavo, e assim por diante....

Ganhamos de um time horroroso, o jogo foi horroroso, mas valeu a pena pelo gol histórico. Eu não quero goleiro artiheiro de pênalti, porque pênalti todo mundo sabe bater, menos o Edmundo e o Washington.

Espero que até domingo a Suderj limpe aquele pó branco maldito da arquibancada. E o proíba de uma vez por todas. Afinal, uma torcida tão educada como a do fluminense não deveria sujar um patrimônio público. E, quem sabe, até 2015 o Thiago faça um gol de falta.

Fernando Lima - Flamengo

2 The Fish

Apresentação do Romário assim que chegou na Austrália. FOCADO!

Gustavo Pessôa - Vasco

20/04/2008

15 À Maioridade

Escrevo poucas horas depois do jogo. Então talvez eu cometa injustiças, fale bobagens, embevecido pelo desgosto que ainda amarga à garganta. Mas futebol (e arquibar) é isso aí – discussão emotiva, sem razão. E eu acho que estou sendo racional demais até.

Antes de mais nada, parabéns pra eles. Eles jogaram melhor. O técnico deles quis ganhar, e ganhou. Colocou mais atacantes. Posicionou o time pra frente desde o início. Colocou um carrapato no Thiago Neves e nem precisou colocar um no Conca, porque o Renato tratou de anular o Conca.

Então vamos ao Renato. O que fez o Renato? Armou o time com um atacante. O outro “atacante”, o Cícero, que vinha jogando bem e fazendo gols, foi escalado na cabeça-de-área. Renato ainda conseguiu anular o Conca ao posicioná-lo de atacante – o time não ganhou um atacante e ainda perdeu aquele que estava sendo o melhor meia do time, o próprio Conca. E, para fechar com chave de ouro, com um a mais com 30 do segundo tempo, o que fez Renato? Nada! Contentou-se com o empate e com um time que não havia chegado com perigo uma vez sequer nos últimos 75 minutos, à exceção do pênalti do Washington. Depois do 1 x 0 no placar, a entrada do Tartá soou como última tentativa hipócrita e desesperada de um retranqueiro em tornar seu time mais ofensivo.

Mas já era tarde – Renato pagou o preço de se contentar com o empate contra time pequeno; sofreu o golpe fatal e não teve forças para reagir. Se eu sou contra o Renato? Não, de jeito nenhum. Nem xinguei de “burro”para não incentivar a saída dele, o que definitivamente não quero. Mas ele tem que acordar, e pra ontem. Faltou ao Renato ser o Renato atacante, decisor, campeão de tudo que disputou, ousado, calador de boca da raça imunda com gol de barriga. Renato não foi Renato, o Fluminense não foi o Fluminense do 7 a 1, do 5 a 0, e de tantas pauladas na cachorrada. E aí o time pequeno se agigantou. Parabéns, de verdade. Sem sarcasmo.

E assim chegamos ao porquê do título. Incapaz de lutar com minhas próprias forças, me resta torcer pelo graaaande fogão. O graaande fogão merece – é o melhor time do campeonato e derrotou três vezes o melhor time das Américas. Eu não vou mentir, não vou esconder o jogo: a partir de agora e até o apito final do segundo jogo do estadual, sou partidário do canil. Se o Fluminense é incapaz de defender sua hegemonia com suas próprias armas, torçamos para que o canil nos ajude. É o que nos resta nesse estadual amargo.

Mas ainda não cheguei ao título (não seja por isso, o Cuca também ainda não chegou). Explico agora. Ao torcer pelo canil, torço pelo seu 18º título estadual. Verdade: caso o graaande fogão se consagre campeão deste ano (to torcendo, olha só: fooogo!) terá conquistado seu 18º Estadual, ou seja, terá finalmente atingido a maioridade. Será o primeiro dos pequenos a conquistar esse feito. Entre os grandes, o Flu chegou ao 18º em 1964; os imundos em 78 e a portuguesada em 92.

Então vamos lá!! Graaaaande fogão. Rumo à maioridade.

Saudações Tricolores.
PS: a vida continua (mas só a partir de amanhã).

Fábio Sá - Fluminense

0 Larica de Bola


E não foi que, armado com seu Seven Up tamanho família Cuca, o inesquecícel Biriba encarnou no Chapado Silva para aniquilar Thiago Maravilha e seu cintilante bracelete?!?!?!


Quem mandou juntar a pipoca com a vontade de comer?!?!

João Paulo Sá - Flamengo

18/04/2008

10 Classe desunida


O cara entra no BBB e fala pro Brasil inteiro que ele é do time de lá. Decide morar no Rio, e como todo mundo sabe, quem mora no Rio tem que escolher um time do Rio para torcer.

Na bolsa de apostas para qual time Marcelo do BBB escolheria Botafogo, Flamengo e Vasco estavam pagando bem. E a banca quebrou.

Classe desunida da porra.

P.S. Se bem que lembro dele chorando dentro da casa.
Gustavo Pessôa - Vasco

8 De outro planeta


Se o Baixinho falou, ta falado. A torcida do Flamengo é de outro planeta. Isso eu já sabia, mas muitos amigos aqui do blog teimavam em inventar que não era.

Mas hoje eu estou aqui pra falar de outra torcida. A simpática torcida do fluminense e seus gritos de "melhor do Rio", "melhor da América" e etc.

Esses gritos são típicos de torcidas que não estão acostumadas a ganhar títulos. Como o fluminense é famoso por morrer na praia, sua torcida passou a adotar gritos que celebrem o momento, já que ela sabe que dificilmente gritará "É campeão!".

Ontem chegou a ser engraçado a torcida gritando "Aaaa, aaa, aa melhor da América!". A torcida do fluminense também começou com o "melhor do Rio". Eu, repito, eu acho ridículo. Esse tipo de grito eu nunca ouvi a torcida de um time campeão entoar. Ou alguém lembra da torcida do São Paulo ou do Inter cantando "Melhor do mundo!"??? Ou mesmo alguma torcida do Brasil cantando "Uuuuu, uuu, uu... Melhor do Rio Grande do Sul" ou "Iiiii, iii, iinas, Melhor de Minas!" e por aí vai...

É engraçado. Mas os gritos da torcida do fluminense são engraçados. Os dois melhores são "fluminense ole ole ole, ole ole ole, ole ole ole" e "bonecão do posto ta maluco, ta doidão... fumou um baseado na torcida do flusão!" Demais!

E pra terminar, pra mim não faz a menor diferença se o Flamengo ficar com a melhor campanha, o que é quase impossível, ou com a segunda melhor. Afinal, o mando de campo contra o fluminense vai ser o mesmo. Além disso, aprendi ano passado que ter as melhores campanhas não significa nada.

SRN

Fernando Lima - Flamengo

17/04/2008

3 Com que roupa eu vou?


Agora é sério (será?), ele parou. Não víamos mais jogadas de mestre, não víamos mais aqueles gols, mas não tem como deixar a nostalgia de fora. Não vamos mais ver Romário em campo.

O primeiro jogo que assisti na minha vida foi entre Vasco e Friburguense, numa tarde de sol num domingo do ano de 88. O Vasco venceu por 3 x 0 e Romário fez os três. É claro que não me lembro do jogo, dos lances, muito menos dos gols. Mas o placar nunca saiu da minha memória.

Assisti também a derrota do Vasco para o Inter-RS numa tarde de domingo, só que agora com muita chuva e em 2007. Era a volta do Nilmar, que bagunçou a já bagunçada defesa do Vasco, mas o que ninguém sabia era que aquele seria o último jogo do Romário. Felizardos vascaínos e colorados.

Agora esse ingresso tem um outro valor

Só uma observação: o jogo de despedida é tão válido quanto as peladas que ele joga no Leme. Só os vascaínos e colorados assistiram o último jogo oficial do Romário.

Falando no jogo de despedida, o Baixinho já veio falando que quer fazer um jogo entre Sel. Brasileira x Misto de Vasco-Urubu-Pó de Arroz. Alguém poderia lembra uma coisa a ele:

Não existe misto entre Vasco e Urubu.

Ele ainda disse que nesse "time" a camisa deveria ser literalmente um misto entre esses três times. Agora com qual patrocínio - Unimed, BMG?

Agora minha opinião séria sobre o caso. Porque ele não termia com a camisa do Botafogo?

Tadinho do Botafogo, só foi massacrado. Por onde passou, Romário goleou o glorioso. Um jogo de despedida com a camisa do Botafogo seria só uma demonstração de carinho por um time que tanto o ajudou no projeto dos 1000 gols.

Lanço agora a campanha - Romário no Fogão!

Polêmico como sempre, já adianto a frase dele para a minha campanha: Peixe, o chorão era o Bebeto.

Gustavo Pessôa - Vasco

15/04/2008

9 Urubu ou galinha?



E o Flamengo mostrou no domingo que já está tremendo. Nem apareceu pra jogar contra a cachorrada. Por quê? Porque se ganhasse levaria mais três sacodes do Thiago Créu Neves. A única saída foi perder para o Timeco do Chorão Bebeto e passar o feriado secando.



Victor Machado - Fluminense

14/04/2008

16 Manoel, um bolinho de bacalhau, por favor!


Fala playbozada! Em 2005 eliminamos a portuguesada nos pênaltis na semifinal da Taça Rio e arrancamos para o título. Agora não podia ser diferente. Estão chorando, falando que jogaram melhor. Aos 20 minutos do primeiro tempo já era pra estar 3x0 para o Fluminense.

O Conca começou com tudo. No dia em que o Thiago Neves não está bem, temos o argentino pra chamar a responsabilidade e vice-versa. E nos dias em que os dois estão bem, a vitória é garantida. Que dupla!




Cadê o Edmundo na hora da decisão? O mais experiente, o ídolo da torcida, na hora que o time mais precisou dele, estava fora de campo. Vai falar que quando não estava preparado (contra a urubuzada) teve que bater e perdeu, e agora que estava preparado não teve a chance. Maldade e burrice foi colocar toda a responsabilidade em cima do garoto Pablo. Ele não podia nunca ter sido o último.

Bom batedor ele não é. Na semifinal da Taça Guanabara de Juniores, perdeu um pênalti aos 44 do segundo tempo (o placar estava 1x1) e nós acabamos campeões. Agora não será diferente. Esse garoto tem futuro!

Me emocionei com um garoto tricolor (10 anos de idade) chorando ao final do jogo do meu lado. Quando o Vasco fez 1x0, eu virei pra ele e falei: “Olha pro jogo e torce bastante. Você vai crescer vendo a gente ganhar deles!”. A maldição dos anos 90 acabou. Freguês de português, só na padaria da esquina.

Tabelinha Tricolor:

Há 2 mil anos estava escrito que o Vasco sofreria nas mãos de um ex-croto ex-presidente e ex-deputado. Se ele diz que só sai morto daquela padaria em São Cristóvão. Que ele viva bastante!

Victor Machado - Fluminense

2 Agora, vamos esperar


Vou escrever aqui pra ajudar nosso(s) amigo(s) botafoguense(s), afinal não temos nenhum que escreve aqui no blog. Portanto, meu post é feito para que ele(s) possa(m) comentar o jogo de ontem.

O Flamengo não jogou nada, não criou chances, não se encontrou em campo. Provavelmente uns estavam cansados, outros ficaram de migué pois sabiam que poderiam usar como desculpa o cansaço. Mas o que eu vi foi um time pregado, com exceção do Toró, que correu muito, mas depender do Toró não vai levar o time a lugar nenhum.

Perdemos, parabéns ao botafogo. Agora, teremos uma semana e meia pra descansar até pegar o Bolognesi. E estamos esperando, pois já estamos na final há algum tempo.

Em tempo: a Taça Guanabara é muito mais legal que a Taça Rio. Quando você ganha a Taça Rio, você sabe que em uma semana vai ter que jogar de novo, então nem tem muito tempo pra comemorar.

Fernando Lima - Flamengo

13/04/2008

2 Faltam 15


Chora Eurico imundo
O sonho acabou
Tu foi eliminado
Pelo Tricolor


Vascaíno otário
Senta no meu ...
E eu te levo
À Portugal


Os idiotas da objetividade dirão: o jogo foi ruim. O Fluminense jogou mal. Thiago Neves foi mais Romeu do que Thiago Neves. Washington foi só uma camisa sem número 9 em campo. E os laterais escolheram, cada um, apenas quinze dos noventa minutos para jogar. O Fluminense não se esforçou. Fez um golzinho quando quis, e quis uma única vez. Tudo isso é verdade. Mas falta ver o cenário maior e mais importante. Não foi o suficiente para encantar a torcida, nem tampouco para lhe render o favoritismo? Concordo. Mas foi o suficiente para mais uma amargura na vida do ex-presidente. Então, só por isso, já valeu. Que esse desgosto lhe retire alguns dias de vida, assim torce o futebol.

Quinta-feira vale muito. Vale decidir em casa, vale pegar um time de menor expressão, vale a confiança pra fase de mata-mata. Domingo vale muito também, proporcionalmente mais até do que quinta-feira, eu diria. Vale a hegemonia, vale passar pelo canil pra "rebentar" a imundície. Boa dor de cabeça pro Renato, que não pode escolher o jogo – tem que ir pra dentro nos dois. Agora é a hora da superação.

OBS: Não tenho nada com isso – que a Suípa e a Comlurb se entendam – mas será que os chorões admitirão os "erros" de arbitragem no jogo de hoje (domingo)? Pegou mal pra quem chora tanto...

Saudações Tricolores
Fábio Sá - Fluminense

3 E eu não paro



Jogamos muito melhor. Sem comparação, muito melhor. Mas não deu, e dessa vez não foi por falta de vontade, por falta de raça. Não ganhamos por um motivo, um motivo único: Futebol é injusto.

A culpa não foi do Alan Kardec, não foi do Tiago, do Edmundo e muito menos do Plabo. A culpa foi do futebol.

Um time ruim de vôlei nunca vai ganhar de um time bom. E no basquete? Será que alguém consegue imaginar o Dream Team perdendo pra seleção da Bolívia? Impossível. Mesmo na altitude.

Agora com futebol é possível, não é complicado imaginar um time qualquer do Brasil ganhando do Manchester United, por exemplo. Viajando na história podemos imaginar a seleção de 70 perdendo um jogo, a de 82 perdeu. 86 também.

Futebol é injusto. E no último sábado o Maracanã viu mais uma injustiça. Ruim pra mim, não vou mentir, estou triste. Bom para o futebol. Por isso a gente continua indo aos estádios, por isso a gente fica nervoso a cada domingo, se não for assim, injusto, não será apaixonante.

Isso é fase, e sei que vai passar.
Gustavo Pessôa - Vasco



O faro jornalistico do meu irmão foi perfeito nesse jogo. Fez um ótimo vídeo, com direito a áudio do seu "radinho de pilha", no momento do gol do Vasco.

video

11/04/2008

7 Bacalhau ou Sardinha?



Playboyzada! Final de semana promete. Praia, sol, Maraca lotado e bacalhau como prato principal. Aqui na TV Esporte Interativo as discussões e apostas já começaram. Enquanto escrevo essa coluna, escuto “um almoço”, “te dou um gol de vantagem”...

Eu não estou preocupado. Acho até que o Washington deve ser poupado mesmo. Fazer gol sem goleiro de novo é sacanagem. Quem entra no lugar dele? Não sei. Talvez ninguém. Vamos jogar com um a menos pra ter mais graça. Thiago Neves e Conca bastam.

Pra fechar o sábado perfeito sairemos do Maracanã cantando a bea música: “Dança, Dança da Bundinha, no Maracanã bacalhau virou sardinha!”

Tabelinha Tricolor:
Não vou comentar a Libertadores hoje. Perdemos quando podíamos perder.

Victor Machado - Fluminense

10/04/2008

20 Peru no Cuzco


Que grande noite! Não há nada melhor do que ver seu time atuar muito bem quando todos achavam que ia acontecer o contrário. E é muito bom também torcer sabendo que tem uma porrada de alvinegro vendo televisão e secando o Flamengo, esperando o momento de gritar “vasco” na janela na hora do gol do adversário. Em Copacabana tem um cara que faz muito isso.

Libertadores é isso. Catimba antes da bola rolar, a cidade inteira contra um time, manobras de bastidores... O time soube focar no jogo enquanto o Kleber Leite focava nos bastidores. A altitude não atrapalhou e a torcida dos caras também não. Parecia a torcida do botafogo. E ainda dizem que torcida não influencia. 40 mil torcedores e nenhum barulho. Imagina se os 40 mil gritassem o tempo todo. Provavelmente atrapalhariam alguma coisa.

Papai Joel deu a entender a semana inteira que ia colocar o Jailton em campo, e o Cienciano deve ter pensado: “Com Jailton em campo, o jogo é nosso.” Eis que na hora ele entra com Kleberson, mandou muito bem. Jailton é fraco demais pras opções de meio que o Flamengo tem.

Não dá nem pra destacar um jogador só, todos foram muito bem. E eu gosto muito do futebol que o Souza vem praticando. A torcida acha que ele é um bonde porque faz pouco gol, mas eu acho o cara importantíssimo pro time. Ninguém pára pra ver o excelente trabalho de pivô que o Souza faz. Enfim, o time foi foda ontem!

Eu disse aqui que não acreditava na vitória, mas que acreditava na classificação. O time me surpreendeu e a classificação veio antes do esperado. Melhor assim, pelo menos na próxima rodada a torcida alvinegra vai poder descansar no feriado e guardar as energias pra secar a partir das oitavas.

Claro que não posso encerrar sem falar na nossa querida Mãe Dinah à Bolognesi, que errou tudo que previu. Acho que ele andou fazendo um intensivão com o Dr. Eurico lá em São Cristóvão.

E enquanto uns jogam a Libertadores, outros se vingam do River. Pena que era o River errado...

Fernando Lima - Flamengo

3 Glórias Tricolores – Parte 1


Caros, devo admitir..
Bolei!

Que estratégia audaciosa de mobile marketing essa nobre instituição adotou para lançar a coleção de DVDs com os grandes momentos da sua história. Tudo isso contado e cantado pelos maiores ídolos do passado!!!!
Pára! Pára!
Bola você também, bola!

Me peguei bolado quando lembrei da frase de um grande professor que tive:
“A História é contada pelos vencedores...”

Então, como não ficar atraído por algo tão raro?
E o melhor de tudo!
O DVD roda em qualquer tipo de divisão!!

João Paulo Sá - Flamengo

08/04/2008

8 Flanerbahçe



Fábio Sá (via celular) - Fluminense

2 Roupa Nova


Mudaram nossas camisas de novo. Todo ano são duas, desnecessárias, trocas de roupa. Quer vender uniforme? Inventa, faz igual ao Corinthians e Palmeiras, iguais aos times da Europa, mas não muda um detalhe e faz uma camisa que homenageia a do ano anterior.

O detalhe cinza achei legal, gostava do vermelho, mas ficou legal. O detalhe do ombro é igual a camisa de goleiro que o Silvio Luiz usava, fica parecendo que está de mochila.

Agora, o pior de tudo, logo no ponto onde tinham acertado no modelo anterior e erraram, e muito, nesse foi a camisa de treino. PQP compro nunca essa camisa.

Imagino a reunião para criar o novo uniforme de treino: "Vamos fazer algo feio?" "Feio não, muito feio!" "Fulano, que camisas você trouxe de referência?" "Não, porra, essa do Flamengo preta, vermelha, azul e amarelo também não" "Laranja e preto! Vai ficar legal!" "Agora precisamos de um modelo" "Ah, chama o Alan Kardec mesmo." "Boa! Combina com a chuteira dele."

Gustavo Pessôa - Vasco

06/04/2008

2 16h?


Assim como eu, o meu time achou que o jogo era às 18h10 e só entrou em campo quando faltavam 20 minutos para terminar a partida. Eu ainda cheguei antes.

Vergonhosa a falta de vontade (que vem sendo comum). Falta de vontade de fazer gol, de tocar a bola pra frente, do goleiro pular, dos laterais voltarem, do Edmundo dar sangue... Vida que segue. Agora é enfrentar o Pó-de-Arroz de novo.

E o Alan Kardec!
Fez um dos gols mais bizarros da história. Recebeu, bateu de canela, tropeçou na grama, caiu e quase salvou pro urubu o próprio gol. Ele é impressionante.

Detalhe do jogo era o time reserva, com o técnico reserva. Só faltou a torcida reserva [tradução: flamenguistas corneteiros que não frequentam o maior do mundo. O mesmo que torcedores da moda. Ver também maria vai com as outras; leitores do Lance!]
Gustavo Pessôa - Vasco

04/04/2008

1 Tricolor desde Menino

Novidade...

"Sou Fluminense desde que era menino"

Fernando Lima - Flamengo

03/04/2008

11 Delegado e Delegada


Se o assunto é técnico, melhor falar de alguém que já ganhou alguma coisa como técnico, tanto no clube como na seleção, afinal alguém se lembra quem era o coordenador técnino do Brasil em 98? E quem arrumou a casa em 2002?

Então, nosso amigo Antonio Lopes volta ao CR Vasco da Gama para por fim ao rodízio de burros e psicólogos que tivemos. O retranqueiro montará junto com sua experiente coordenadora técnica, Dona Elza, um forte esquema de defesa que permitirá que o Tiago se preocupe apenas com cobranças de falta e penalidades.

Hoje, sem Edmundo, o Vasco enfrenta o Bragantino no nosso caldeirão. Espero ver um time bem montado e com vontade de vencer, com a zaga bem posicionada, e não aquele time do jogo contra o Volta Redonda que só tocava a bola pro lado e que não queria sujar a camisa.

Palavras do delegado: “Edmundo jogará hoje da mesma forma que Evair jogou em 97”

Só falta combinar com o Alan Kardec, pra ele jogar como o Edmundo jogou em 97.

Gustavo Pessôa - Vasco

[Update: Ganhamos 2 x 1. Com golaço do Jean.]

02/04/2008

37 Dia de Festa na Gávea


O Flamengo só joga na quarta que vem (amistoso não conta), mas hoje foi dia de ficar ligado na TV. Sim, o Rei da Gávea tinha um compromisso lá na Turquia. Nosso Senhor Jesus Zico estava no comando do Fenerbahçe contra o Chelsea, pelas quartas-de-final da Liga dos Campeões.

Logo no início do jogo, o Deivid mandou contra as redes. O Chelsea, que já estava fechado na defesa, se fechou ainda mais. Mas o Messias faz milagre até em time turco. No segundo tempo o Flanerbahçe empatou. E o mesmo Deivid, que colocara a bola contra a meta, colocou a bola na forquilha, como o Zicão. Poucos sabem colocar a bola naquele lugar. O Zico sabe, e colocava sempre. Provavelmente ele ensinou o Deivid nos treinos dessa semana.

Podem falar que ele nunca ganhou nada pela seleção, que ele é amarelão, que perdeu pênalti. Eu não quero saber. Zicão é Deus do Flamengo, a seleção que se exploda! Na hora do segundo gol todo mundo na Gávea comemorou, parecia que tinha sido gol do Flamengo. No bar da piscina todo mundo pulou, em todos os Departamentos também. Hoje os funcionários do Flamengo vão embora pra casa mais felizes, pois o Rei fez história de novo no velho continente. Pra cima deles na Inglaterra Zicão! A Nação acredita em você, mesmo com esse time mais ou menos com uniforme do Volta Redonda!
Fernando Lima - Flamengo

2 Aos Cotistas


Minha empresa é socialmente responsável. Respeita a Lei Federal MárioTilico, parágrafo 7, item 1 de 14-05-1994, que diz que “toda minoria deve estar representada em empresas sérias”. Por isso, temos aqui um botafoguense. E ele ficou bravo com o meu último post.

Ainda bem, porque pelo menos uma pessoa apareceu (só uma, mas já ajuda). Rivalidade é isso, alegria, paixão, discussões sem nexo. E sem a outra parte, fica difícil.

Ele ficou bravo e disse que a torcida do Botafogo é gigante. Pode ser. O Ibope, do Montenegro, diz que é mesmo. Deve ser mesmo, grande, gigante, fenomenal. Tive acesso ao questionário para medir o tamanho das torcidas e, no item BOTAFOGO, me deparei com a seguinte pergunta:

Você, botafoguense, como explica a torcida do Botafogo ser “tão grande” mas ninguém conhecer mais de dois botafoguenses (e isso fazendo muito esforço de memória)? A torcida do Botafogo:

a) é muito grande em Niterói, que nem a do Cabofriense em Cabo Frio e a do Emelec no Equador
b) é enorme no Rio, mas ninguém vê na rua porque ________________ (favor preencher)
c) tem a mais alta taxa de mortalidade do país, comparada somente à de países da África Subsaariana
d) chama o time de “boneca” mas acha que é uma torcida machooona
e) chora, chora, chora, chora. E depois chora mais um pouco. (Machoooona).
f) Não sai às ruas em sinal de compaixão ao capitão que pede pra sair (chorando), ao técnico que não sabe o que é faixa (e chora no vestiário), ao diretor de futebol esclerosado (que chora, mas de raiva) e ao presidente que chora, se aposenta e depois volta, chorando.

Saudações Tricolores. Sem mais.
Não, peraí, “sem mais” não. Com mais. Sete vezes mais.
Fábio Sá - Fluminense

01/04/2008

3 E ninguém fala...


Vou aproveitar o gancho do nosso amigo tricolor pra falar do botafogo também. Normalmente eu acabo assistindo esses jogos de domingo às 18:10, além dos jogos do meio de semana dos outros times. Assisto pelo menos pra dizer que está valendo a pena pagar o meu pay per view, já que nos jogos do Flamengo eu estou a 10 minutos de casa, no meu quintal.

O PPV lá em casa existe mais para o meu avô, um tricolor de 78 anos que em toda a sua vida deve ter visto menos títulos do seu time do que eu já vi do meu. Ainda bem que o velho não passou a praga pros filhos e netos. Pra falar a verdade até passou pros filhos, já que um torce pro Fluminense e um resolveu torcer pro outro time que não ganha nada. Sorte minha que a única filha do meu avô casou com um flamenguista. Obrigado pai!

Mas voltando ao assunto. Ao parar para analisar os últimos dois jogos do chororô, parece que a choradeira está surtindo algum efeito. Primeiro, venceu o Cardoso Moreira com um gol onde o jogador estava ridiculamente impedido. Domingo aconteceu de novo. O Fluminense teve um impedimento ridículo marcado contra ele, numa jogada em que um jogador que não lembro quem era ia entrar totalmente livre. Se ele fizesse igual o Washington, perderia o gol. Mas tinha chance de fazer também.

Depois, já no finalzinho do jogo, teve aquele gol do Jorge no Fernando Henrique. Até agora não dá pra saber se a bola entrou. Mas se o gol fosse do Flamengo, toda a torcida arco-íris ia estar chorando junto com o Botafogo, principalmente o Gustavo.

Com certeza os botafogos devem estar pensando “Ah, já roubaram muito o botafogo, ninguém pode reclamar de nada agora...” O chororô ninguém cala, mas agora que a maré está mudando de lado, não vejo nenhum botafoguense falar nada. Na verdade eu não vejo botafoguenses. Tenho certeza que esse post não terá nenhum argumento. Mas fica aí de brinde, afinal esse blog é sobre 4 times do Rio, não sobre 3...

Fernando Lima - Flamengo