Páginas

29/05/2008

11 Eri, nos ajude!


É justo eu vir aqui tentar falar alguma coisa hoje. Fábio Sá veio ainda de cabeça quente reclamar do Fluminense assim que seu time foi eliminado no Carioca. Fernando Lima não deixou de chorar os lamentos de uma derrota no Maracanã para o América do México, também de cabeça quente.

Por carinho ao blog, hoje sou obrigado a fazer isso.

Vai todo mundo tomar no c... Pra começo de conversa. Não vou tentar explicar nada, pelo simples fato de eu não conseguir explicar nem pra mim. Se as pessoas falam que penalti é loteria, o Vasco leva isso muito a sério, só vai ganhar 1 em 1 milhão.

Nunca vou negar aqui que o Edmundo é meu maior ídolo, mas não vou defende-lo aqui. Ele precisa entender que o lugar dele não é na cobrança de penalti. Quem poderia contar isso pra ele? Será que NUNCA ninguém falou isso pra ele????

"Edmundo, chega ai, Fera. Falar uma parada séria pra você!"

Porra, cadê o Eri Johnson nessas horas? O cara é amigo dele e ainda é vascaíno, podia dar esses toques no cara!

A festa tava armada, nunca tinha visto São Januário com uma festa tão completa, estava tudo muito perfeito. Sofridamente perfeito. Até que do meu lado um cara sai carregado pelos amigos, na mesma hora que o Wagner Diniz andava até a área para bater o 5º penalti do Vasco, o coração dele não aguenta e parece que ele teve um princípio de enfarte ou outra coisa qualquer. Quero isso pra mim não. Nossa torcida não merece esse sofrimento.



E o placar eletrônico ainda tem a cara de pau de me desejar Boa Noite.

Gustavo Pessôa - Vasco

4 Ah! É Edmundo!!!


Hoje eu fui ver os jogos num bar na Tijuca, pois era aniversário de um grande amigo. No bar estavam passando os jogos do Fluminense e do Botafogo. O meu post abaixo não me deixa mentir, eu esperava que fosse secar muito mais o Fluminense que os outros cariocas que jogavam também. Com o desenrolar do jogo do Fluminense, percebi que eu estava mais preocupado com o jogo do vasco, o único que não estava passando.

Aí pintou a bolinha da informação. vasco 1 a 0, devia ter uns 15, 20 minutos. Quando parecia que ia acabar assim, o ídolo maior da colina empatou o jogo de 180 minutos. A partir daí, me uni aos tricolores presentes no local para secar o graaaaaaaande fogão e o vasco. O graaaaande fogão peidou novamente. E o vascão.......

Que beleza! Caldeirão lotado, todo mundo torcendo pro vasco ser campeão. O grande ídolo fez o gol no último minuto. Tenho certeza que ninguém lembrou do jogo contra o Corinthians em 2000. Todos deviam estar gritando a plenos pulmões: "Ah! É Edmundo!!!"

Hahahahahahahhahahahaha... Que engraçado. É muito bom ver o vasco ser eliminado de novo com o Edmundo peidando igual o botafogo. Sempre no pênalti. Perdeu contra o Corinthians, perdeu contra o Flamengo esse ano, perdeu de novo hoje. Deu uma de Roberto Baggio, que beleeeeeeza, como diria Milton Leite! Edmundo e pênalti não combinam!!! Eis que começo a mandar mensagens a todos os vascaínos e recebo a seguinte do nosso amigo Gustavice:

Alegria completa, minha noite teve um saldo positivo. Semana que vem eu seco o fluminense de novo. Mas hoje, voltou uma certeza em mim. O vasco me incomoda, e quando ele perde eu fico muito feliz! Chora vascaíno o sonho acabou... De novo!

Fernando Lima - Flamengo

27/05/2008

6 Hincha de Boca


Você, torcedor carioca, que nunca caiu pra terceira divisão, que nunca jogou contra time de bombeiro, que nunca jogou contra o time da MTV, que nunca virou mesa, tem uma inédita missão, nesta quarta-feira: todos secando a Flor. Não adianta a gente falar que não seca, torce pro time e não fica secando o outro, porque isso é mentira.

Todo mundo ta secando a Flor, alguns com um pouco mais de disposição estão secando o Vasco e Botafogo também. Mas a maioria está focada em ver Renato Gaúcho chorando e colocando a culpa na sua equipe. Fiz um intensivão em Barra Brava – na famosa La 12 – e trago para vocês alguns vídeos com letra para na próxima semana todo mundo cantar pela cidade do Rio de Janeiro.


Depois da tragédia de quarta-feira, eu viajei às pressas para a Argentina nesse feriado para trazer vibrações negativas para o Rio de Janeiro. Como diria Galvão Bueno, o Fluminense é o Brasil na Libertadores!!! Visitei todas as áreas da Bombonera e deixei um bilhete de boa sorte ao tricolor carioca escondido em um canto do estádio.

Meus amigos tricolores que me pedem para comprar meia entrada para jogos do Fluminense, se preparem. Não comprarei pra ninguém!!! No primeiro dia de vendas, as meias entradas que eu consigo comprar serão todas destinadas aos amigos que querem secar o Fluminense das cadeiras azuis, unidos com la hinchada del Boca por um só ideal: eliminar o último time brasileiro da Libertadores. De zebra neste século, já basta o Once Caldas. Chega!
Todos juntos, unidos pela primeira vez, para secar o Fluminense. Coisa raríssima em todos estes anos. Nem os tricolores estão acostumados com tanta gente secando eles. Se preparem! Ano passado estive em dois jogos de adversários, Botafogo x Figueirense e Vasco x Gama. Sequei bastante, mas nessas semifinais secarei ainda mais. Pra cima deles!!!


Atualizando


Desde pendejo yo te vengo a ver
y me persigue la policia.
No se hasta cuando me van a correr,
no se dan cuenta que vos sos mi vida.
Vamos xeneizes, hay que poner más huevo,
con esta hinchada tenés que ser primero.




Gustavo Pessôa e Fernando Lima – Boca Juniors

26/05/2008

5 Um time, três estádios


Pena que nenhum botafoguense deve entrar aqui no blog, assim o assunto não vai se esticar muito, não vão ter muitos comentários, porque nesse mundo não existem mais botafoguenses.

Eles aparecem do nada, e somem da mesma forma.

Como já falei aqui no Arquibar, o Vasco vai jogar as partidas contra o Botafogo e Fluminense em São Januário. Hoje foi o dia da primeira partida contra o graaande Botafogo, e foi "fora de casa".

Todos rumo ao Engenhão. Chego na estação de trem da Central e já sinto o clima de ser visitante num jogo no Rio. Chego no Engenhão, na entrada da torcida do Vasco e tem uma placa "entrada visitante". Entro no estádio, chego nas arquibancadas e...

...só tem Vascaíno dentro do Engenhão.



Nossa torcida estava lá, e os "donos" não foram.
Por favor, se você conhece um botafoguense pede pra ele entrar aqui no blog e me explicar porque eles nunca vão aos estádios?

Não foram nas finais do carioca, não foram ontem contra o Vasco na "casa" deles e já ouvi por ai que até contra o Corinthians parece que eles não foram!

Sobre o jogo, o expressinho segurou a pressão até o juiz inventar um penalti no final. Como já disse o Mano Menezes no meio da semana, o pessoal ta com peninha deles. E é pra ter mesmo!

Não ganha nada!!! Nem na arquibancada!!!
Gustavo Pessôa - Vasco

23/05/2008

2 Épico



Renan, meu irmão,

Tenho certeza que você, mesmo à distância e sem ter como acompanhar os jogos em tempo real, está torcendo e sofrendo mais do que os tricolores que estavam presente num dos dias mais lindos da história do Fluminense. Nunca vou esquecer o momento do gol:

47 minutos do segundo tempo. Nossa última chance. Tinha a certeza da presença de pelo menos três grandes tricolores no Maracanã: o Sobrenatural de Almeida em campo e Nelson Rodrigues e você ali, na arquibancada com a gente.

Eu estava sentado, concentrado, sem olhar para o gramado: “Por favor, a gente precisa ganhar isso. Eu sei que você está aqui e vamos ganhar essa porra por você”. Meu pai me abraçou e também não olhou para o lance. Estávamos nós três juntos, como sempre, como se você não estivesse na França. Foi mais uma noite épica do Fluzão, mais uma grande vitória em família!

Eu, em nome de todos os tricolores, te agradeço por amar nosso Fluminense todos os dias, a cada segundo. Quarta-feira que vem a gente se vê de novo!
PS: alguém tinha visto essa placa? Foi aquele mesmo tricolor que escreve no O Globo

Victor Machado - Fluminense

22/05/2008

0 Catarse


Estou lendo um livro que, aliás, recomendo. Chama-se “Febre de Bola” (“Fever Pitch” no original, do inglês Nick Hornby, o mesmo de “Alta Fidelidade”) e inspirou o nome das nossas tardes de sábado e domingo lá na emissora.

O livro narra a vida de um menino (o próprio Hornby) e a descoberta da sua paixão pelo Arsenal. Dias inteiros dedicados ao ritual almoço-estádio com o pai-resenha no rádio-casa (lembra alguma coisa?), vitórias sofridas, derrotas sentidas, um amor que foi se revelando maior do que tudo o que ele jamais havia vivenciado, e jamais iria vivenciar.

Mas vamos ao ponto.

Em um dado momento do livro, ele narra a saga da final da FA CUP de 79 contra o Manchester United, em Wembley. Os Gunners abriram 2 a 0, sofreram o empate e, quando tudo parecia perdido, quando só no que a torcida conseguia pensar era nos dois vices em anos anteriores, o gol salvador lhes deu o caneco e a explosão de glória, alegria e alívio. Principalmente alívio. Ele diz:

“Então Alan Sunderland esticou o pé para a bola, enfio ela gol adentro, bem na baliza à nossa frente, e eu não conseguia gritar “Gol!” ou “Ééééé!” ou nenhum dos outros sons que normalmente saem da minha garganta em momentos assim, e sim um único som, “AAAAARRRGGGHHHHHHHHH”, um som nascido do prazer absoluto e incrédulo choque, e de repente havia novamente gente no concreto das arquibancadas, pulando e rolando uns sobre os outros, de olhos arregalados e maravilhados.”

O capítulo se chama “Wembley IV – A Catarse”. Eu li esse exato capítulo vindo de São Paulo, de avião, pro Rio, ontem à tarde. Eu tinha tempo e disposição para continuar por mais capítulos, mas parei ali, por nenhuma razão que eu lembre. Simplesmente parei.

Perto do céu, quem sabe foi um recado Dele, um cochicho ao pé do ouvido: “Pára nesse capítulo, Filho. Hoje é dia de Catarse”.

A Família, reunida lá no alto do 43, e contando com a presença ilustre do muito bem-vindo pé-de-coelho atleticano (ou seria ‘pé-de-galo’?), agradeceu, feliz.

Noite feliz. Mas a comemoração ficou na noite de ontem. Hoje já é dia, dia de Corpus Christi, de agradecer ao Homem pela Sabedoria do seu cochicho, e humildemente pedir por mais proteção e bênção Dele. Tomamos gosto pela coisa – agora, queremos mais.

À concentração, ao trabalho. Vem aí mais um monstro pelo caminho. Vamos derrubar mais esse.
Saudações Tricolores.

Fábio Sá - Fluminense

21/05/2008

5 Só o que importa


Me desculpe a juventude desempregada. Me desculpem os pais separados que têm interesse na guarda dos seus filhos. Me desculpem o povo brasileiro preocupado com o destino da nossa frágil Amazônia, os interessados no leilão da usina de Jirau e os norte-americanos que não sabem se elegem o Obama ou o McCain. Hoje eu não quero nem saber de absolutamente nada disso.

Hoje eu só quero saber do meu Fluminense. Da concentração dos guerreiros. Do espírito de grupo e do amor ao clube nutrido pelo melhor zagueiro do país. De como está a cabeça dos que têm andado sobre trilhos vacilantes, e que têm no dia de hoje a chance única e maior de agarrar a locomotiva com a unha e colocá-la de volta no rumo certo. Na marra, se for preciso. De como está a cabeça do comandante, ultimamente afeito a ‘mirabolações’ preocupantes e questionáveis, mas que tem crédito e a confiança do grupo e da galera. Mas é bom não inventar muito hoje, porque hoje não é dia pra invenção. Hoje é dia pra deixar tudo dentro de campo. O suor, o sangue, a raça, os dentes se necessário for. Hoje é dia pra lembrar pro resto da vida. Como o dia em que o clube mais amado do mundo foi também o clube mais feliz do mundo.

Ninguém vai deixar de te amar, por nada – mas o amor e a felicidade bem que poderiam marcar um encontro nas amarelas do Maraca hoje, lá na 43, lá em cima.

Não quero saber das armas do policial – que arsenal! Nem das linhas de ônibus, nem do nosso amigo ciclista em Paris. Nada disso. Hoje o governador do meu Estado é o Cícero, o prefeito é o Conca, e o presidente é o FH. (Antes FH do que Lula, aliás.) Troco a angústia da tragédia da coitadinha da menina pela angústia do nosso Coração Valente, ansioso em estufar o filó – calma, garoto, vai vir na hora certa. Troco o Minc Leão Dourado pelo nosso camisa 10 que também precisa de ajuda para se encontrar – vamo moleque, pra cima deles!

Hoje meus olhos só conseguem ler a mesma coisa, independente da notícia do jornal... Fernando Henrique; Gabriel, Thiago Silva, Luis Alberto e Júnior César; Ygor, Arouca, Conca e Thiago Neves; Washington e Cícero. Mudo a notícia, tentando fugir um pouco, descansar a cabeça um pouco, mas logo as mesmas palavras me acham: Fernando Henrique; Gabriel, Thiago Silva, Luis Alberto e Júnior César; Ygor, Arouca, Conca e Thiago Neves; Washington e Cícero.

Hoje, agora. Faltam pouco menos de 12 horas, mas parece que falta um ano ainda. E ao mesmo tempo parece que falta um minuto. Hoje, agora. E sempre. Sempre Fluminense, sempre Fluminense.

Sempre Fluminense.
Saudações Tricolores.

Fábio Sá - Fluminense

3 Vai que a casa é sua, garoto!


João Paulo Sá - Flamengo

19/05/2008

6 Pra ter estádio no meio da favela é melhor não ter!



O goleiro Tiago e o volante Jonílson foram assaltados na manhã desta segunda-feira, quando chegavam a São Januário para se apresentar para o embarque da delegação do Vasco para o Recife. Jonílson viajou com apenas a roupa que estava vestindo!

Os dois estavam no carro de Jonílson, quando foram rendidos por bandidos armados em São Januário. Há suspeitas de que os assaltantes eram capangas do Eurico com salário atrasado!

Discussão entre um vascaíno e um botafoguense (é, achamos 1!!):
Botafoguense: O Engenhão é muito melhor do que São Januário!
Vascaíno: Mas o São Januário é meu, não é alugado!
Botafoguense: Ah, então agora é melhor morar num chiqueiro próprio do que numa mansão alugada?!

Diogo Machado - Flamengo

3 Greve?



Arquibeiros, cade vocês???

Vou fazer o discurso em público, a torcido do Flamengo quer ver os textos do Fernando e do JP, os tricolores estão na espera dos depoimentos do Victor e Fábio, os botafoguenses querem ver os textos do Biriba.

O Brasileiro já começou e onde estão vocês?
Daqui a pouco esse blog vai ser exclusivo do Vasco!

Queria falar aqui do jogão de sábado, a atuação do Edmundo em São Januário (melhor jogador do mundo) mas não faço para termos um equilíbrio aqui.

Queria falar que os tricolores estão vendo gols do Leandro Amaral agora só pela televisão. Mas não faço, porque quero ver texto dos outros times aqui.

Gustavo Pessôa -Vasco

16/05/2008

4 Romário + Viola =


Igual a LANDU! Ou como ele mesmo gosta de se chamar, o cara fala na terceira pessoa, Landuzinho.

Boa contratação pro expressinho.

Landuzinho é o mais novo atacante do Vasco, meus primos de Belém sempre falaram dele, que o cara joga muito, que é rápido - mas o povo lá é torcedor do Remo, então não vale.

Agora, olhem esse vídeo. O cara recebeu o demo depois do gol!
Nem Alan Kardec explica.



Quando fizer um gol na Urubulândia, vai ter que nadar no campo igual na época da Porta dos Desesperados do Sergio Mallandro.

O casório também foi animado:



"É! Com certeza"

Gustavo Pessôa - Vasco

14/05/2008

13 Ole ole ole


Os fãs da Juliana Veloso estão empolgados mesmo. E com razão. Cada dia que passa é um dia que achávamos que nunca iríamos viver.

Quando você imaginou que assistiria o Fluminense jogar na altitude? O lugar mais alto que eles já tinham ido era Friburgo.

E jogar na Argentina? Beleza que não saíram de lá com uma vitória (acho que nunca ganharam na terra do Maradona), mas foram lá comer um bife de chorizo e comprar casacão de couro!

E ídolo!?!?! Sempre pergunto para meus amigos tricolores: "quem é seu ídolo?".
A resposta é padrão: "o Fluminense é maior que os jogadores", no máximo tem um que assume e fala do Ézio. Super Ézio. Hoje eles tem o Roger, jogador mais importante da história do tricolor.

Falando sério, se Ézio é ídolo, Valdir teria estátua, Evair camisa imortalizada, Rodrigo Souto bandeira, Donizete então teria seu nome no hino.
Falo sem errar - os maiores jogadores do Fluminense para a nossa geração foram Romário, Edmundo, Pet, Ramon e Leandro Amaral.

Mas hoje é o dia deles, quase uma parada gay, hoje tem Fluminense e São Paulo. Que festa hein!!! Não estou torcendo pra ninguém, só sei que tenho apostas em jogo! Mais cedo ou mais tarde eu ganho, isso é certeza.

Só pra tricolor nenhum esquecer, além do meu time ser maior, minha torcida também é sempre maior, meus estádio é maior, minha sala de troféus é maior. A única coisa que tricolor tem mais que a gente é cor na camisa.

Mesmo hoje sendo o dia deles, vale sempre lembrar do passado recente:

video

Faço a mesma pergunta do vídeo, com todo o respeito: O que o Fluminense vai ganhar esse ano?

Gustavo Pessôa - Vasco

12/05/2008

9 Podem secar, mulambos



Esse texto não é uma comemoração pura e simples da eliminação da mulambada, mas sim uma comemoração pelo fato de ter ganhado R$ 300 em apostas até o momento na Libertadores. E todas foram contra os mulambos. Achavam que o Flu, no grupo da morte, não passaria da primeira fase. Acharam que o Fla, cheio de tradição na competição (?), nunca ficaria atrás do Flu.

Pois bem, chegou a hora de cobrar as apostas. Juro que não esperava cobrá-las tão cedo. Estava esperançoso por um FlaxFu histórico nas semifinais, principalmente depois que o Boca ganhou do Cruzeiro. No Estadual, a tática deu certo. Perderam do Botafogo e secaram o Fluminense pra jogar com o Botafogo de novo. Na Libertadores as coisas funcionam diferente.

Perguntar não ofende:
O Boca ganhou do Cruzeiro e com isso as chances eram boas de se ter uma semifinal histórica na Libertadores: Fla x Flu!! Será que eles preferiram perder logo pro último colocado do campeonato Mexicano?! Realmente levar mais um passeio do Thiago Créu Neves seria duro... (2x0 e 4x1)

O time de chorão não era o Botafogo? O aconteceu com o Obina, Renato Augusto (igual ao ano passado), Joel....? E o Bruno “Não tem não”? Falhou de novo...



Manchetes do dia seguinte:
"Flamengo imita Ronaldo e toma de 3 no Maraca."

“Papai Joel não existe!”

Desafio do dia:
Por que a torcida do Flamengo tem um baixo índice de escolaridade?
Resposta: Porque o time nunca passa das oitavas!

Estou arrumando as malas para ir ao Morumbi. Mulambos, podem secar!

Victor Machado - Fluminense

11/05/2008

11 Prepotência X Mediocridade


Resolvi escrever esse post só agora, dias após a inacreditável eliminação do meu Flamengo, “O Mais Amado” e “O Mais Odiado” do Brasil. Falo com a mais profunda sinceridade que apenas uma coisa me impressionou tanto quanto a inesperada derrota da última quarta-feira: nunca em toda minha vida, vi meus amigos tricolores mais em êxtase do que nos últimos dias. Nunca!

Friso para ficar claro. Como não podia ser diferente, ouvi muitas chacotas esperadas de vascaínos e de alguns poucos botafoguenses (talvez, todos, quem sabe). Definitivamente, eles estavam muito felizes. Mas a alegria somada à quantidade absurda de asneiras que eu ouvi da boca dos fãs de Juliana Veloso foi algo I-NA-CRE-DI-TÁ-VEL! Segundo os mesmos, tudo motivado por um sentimento de vingança contra a “empáfia dos prepotentes framenguistas”.

HAHAHAHAHA... Quanta inocência!

Explico.

Até concordo que a “prepotência” tome conta da torcida quando ela se torna mais uma vez campeã, vendo seu time jogar muito bem e indo para um jogo decisivo com uma imensa vantagem daquelas. Nesse caso, "prepotência", "excesso de confiança" - seja lá o que for - é simplesmente uma combinação de estatística com emoção.

O que discordo completamente é que essa seja uma qualidade dos flamenguistas. No futebol, "prepotência" ou "excesso de confiança" é algo que toma conta de toda e qualquer torcida quando vê seu time numa ótima fase, jogando muito bem e ganhando títulos e mais títulos. É por isso que um gremista, um flamenguista, um são paulino (e até um vascaíno no final dos anos 90) pareçam ser mais "prepotentes" do que um tricolor hoje em dia. Simplesmente, isso nos é mais comum. Fato.

Mas, acreditem, inocentes tricolores: honrando a condição de Time-Halley que são, isso também há acontecer com vocês uma vez por década.

Por isso, enquanto nós somos zoados pela nossa “prepotência” construída com vitórias, eu sacaneio a mediocridade. Porque atribuir as raras alegrias no futebol às derrotas alheias de um outro time é coisa de ME-DÍO-CRE! Apaixonados pelo esporte sim, mas... frustrados.

E, sim. Argumentar e contra-argumentar. Sacanear e ser sacaneado. Nós escolhemos nossos motivos, vocês escolhem os seus.

Isso é futebol!

PS: A propósito: Líder do Brasileirão!
João Paulo Sá - Flamengo

09/05/2008

5 Fim da empáfia


Eu não teria apostado nem um centavo na classificação do América. Acho que ninguém teria. Eu já estava exultante, sonhando com uma Libertadores com duas semifinais alucinantes: Fluminense x flamengo e Boca x River. Imagina! O mundo iria parar para ver e torcer. Claro que ainda tem o São Paulo pelo caminho, ninguém menos que o São Paulo, papão de Libertadores, mas os visionários têm que se permitir pensar no amanhã sem se esquecer de hoje.

Eis que os sujinhos me aprontam o papelão. Mais um frango daquele seboso, mais uma atuação nojenta à frente de uma torcida igualmente adjetivada (à exceção dos amigos que aqui escrevem – hoje vou aliviar, porque vocês já devem estar chateados).

Não foi dessa vez. Fla x Flu na Libertadores, agora só no videogame. E mesmo no videogame eu aposto todas as minhas fichas de que a escrita se mantém: nós passamos por cima da molambada. Como sempre. Como diz a estatística: em 10 decisões, deu Flu em 7. Mas isso é assunto para depois. Hoje é dia de hablar catellano.

Quanto ao Fla x Flu na Libertadores, que pena. Como seria lindo um Maracanã lotado, pulsando no final do jogo ao som de:

TU ÉS
TIME DE TRAVESTI
ACABOU O SONHO DO BI
... ADEUS MENGO...
...ADEUS MENGO...
...ADEUS MENGO...
PS: boa sorte torcendo pelo São Paulo. Futebol é isso mesmo, quem ta de fora, seca.

Saudações Tricolores
Fábio Sá - Fluminense

08/05/2008

19 Obrigado, vó!

Que dia, que noite!
Post grande porque hoje foi o dia.
Hoje foi um dia emocionante, tanto na minha casa quanto no futebol

E no futebol a primeira emoção começou às 18h45 em Ipanema, pego o carro com meu tio e meus primos e... trânsito no Rio de Janeiro todo.

São Januário estava lotado e eu não entrei! Fiquei do lado de fora pela segunda vez na minha vida, mas ao contrário da primeira vez, hoje eu não voltei pra casa, fiquei dentro do carro, ouvindo o jogo e sofrendo a cada gol. Sensação igual essa nunca tive, o gol saia e eu estava só a um muro do jogo. Vontade de chorar, de comemorar, estava aflito, queria ver o gol, mas o muro não deixava.

Gol do Edmundo, gol do Leandro Amaral, outro do Edmundo com tabelinha com Leandro Amaral, e eu não estava assistindo, não estava na arquibancada, não estava comemorando dentro do estádio e sim dentro do carro. Aflição!

O que fez nós quatro ficarmos no bairro Vasco da Gama ouvindo um jogo, sendo que poderíamos assistir em casa? A paixão pelo clube. A vontade de entrar, mesmo faltando só 10 minutos pra acabar o jogo. Isso é Vasco da Gama!

E quanto chego em casa, em pouco tempo já estava 2 x 0 pro América. Meu tio me liga e diz: “Nosso jogo será compensado agora”.

E FOI! Ganhamos, o Rio ganhou, 3 x 0. Com direito a choro descontrolado do Bruno, do Obina, do R. Augusto (e esse é chorão mesmo). Que isso fera! Eu não acreditava, os 50 mil calados torcedores do Maracanã também não.

Cabañas neles!
Pra comemorar, tive que fazer igual 2007 quando o trunfo foi do Defensor: Bar do Césare, posto 6 de Copacabana. Chopp em homenagem ao Vasco e ao Cabañas. Com direito a cantoria e um encontro, assista ao vídeo:

video

Joel, você é um pai para o Caio Jr. Ele cairia na próxima fase, mas você fez com que a torcida não se revoltasse contra ele. Parabéns Papai Joel!

Queria ver a cara do Fabio Luciano assistindo essa defesa em campo.
Queria ver a cara dos meus amigos urubus escritores desse blog.
E juro, não sequei!
Gustavo Pessôa - Vasco

7 Obrigado Joel Santana


Eu achei que já tinha visto as maiores tragédias do Flamengo. Eu estava no Maracanã em 1997 contra o Grêmio. Eu estava em 2004 contra o Sto. André. Eu estive em alguns jogos ridículos do Flamengo. Mas nada como uma merda como essa.

Estou puto, revoltado, mas estou dando a cara à tapa aqui, pelo blog. Nunca vi algo tão ridículo. O fdp do cachaceiro tá falando que o grupo merece crédito. Merece porra nenhuma. Desisto do Flamengo em 2008. Hoje eu desisto. Pode ser que amanhã eu volte atrás. Mas hoje, após o jogo, quem me perguntar quando estarei no Maracanã em 2008 de novo, pode apostar: só estarei quando for a trabalho. Esse ano, não gastarei mais de 1 real com essa cambada de fdp. Parei em 2008.

Agora, podem comemorar à vontade. Eu sei que todo mundo tá feliz...

Fernando Lima - Flamengo

06/05/2008

15 Meu caldeirão


Saiu hoje: Vasco jogará contra os times médios do Rio em São Januário neste campeonato brasileiro.

Maravilha, mas e o Urubu?
Quero jogar contra a mulambada no meu estádio.

O mando de campo é do Vasco, o jogo tem que ser em São Januário. Não adianta falar que é pequeno (não é), que não tem segurança (tem medo? Fica em casa), que não tem portão, que o box do habib´s é ruim. Podem falar o que quiserem, mas mando de campo é sagrado.



O urubu e o pó-de-arroz não têm estádio, fato, mas eles jogam no estádio público. Jogam lá todos, nunca vão pra beira da lagoa e nem pro quarteirão do governador. Sempre no Maracanã. Os clássicos então eles jogam na "casa deles". Isso é um benefício.

O Vasco tem que jogar TODOS seus jogos em São Januário. TODOS. Quem tem estádio joga no seu estádio. Sou a favor de demolir o Maracanã só por causa disso, eu gosto de ir ao maior do mundo, é legal, o clima é muito maneiro, subir a rampa, andar nos corredores, mas quero jogar no meu estádio. EU TENHO ESTÁDIO!

Pra ter noção:
Vasco x Urubu
340 jogos. 34 em SJ, com 15 trunfos nossos. Última derrota foi em 73.

Vasco x Flor
329 jogos. 47 em SJ, com 22 vitórias da gente! 82 gols marcados.

Vasco x Botafogo
301 jogos. 44 em casa, e 17 vitórias do Vascão. Mas esse povo é freguês.

Se tem time que acha que torcida ganha jogo, eu tenho certeza que estádio faz diferença. O meu mais ainda.

Momento X9 - tem um grande amigo meu que escreve nesse blog e torce pro mal que adora SJ, vai lá, fica só na social pra assistir jogo sem grade (civilização é outra coisa) e não cansa em falar: "Stamford Bridge brasileira"

05/05/2008

3 Fácil, muito fácil!



Acho que a maioria dos Rubro-Negros não imaginava que seria tão fácil. O título, em nenhum momento, ficou mais perto de Genaral Severiano do que da Gávea.

Era pra ter sido ainda mais fácil, se o Ibson (que não vem jogando nada) não perdesse aquele gol feito logo aos 6 minutos.

Poderia continuar extremamente fácil, se o Bruno (que vem falhando mais do que deveria) não tomasse aquele frango em uma das 30 faltas que foram marcadas na entrada da área do Flamengo.

Mas, hoje, mais calmo, acho que eles queriam na verdade consagrar de vez o Joel. Fazia tempo que não via um treinador ser tão ousado em uma final e surpreender de uma só vez a própria torcida e especialmente o time/técnico adversário.

E foi só começar o 2º tempo para aquilo que estava FÁCIL ficar MUITO FÁCIL!

Obina, Tardelli, Toró e Marcinho deram um show e garantiram o 30º título do maior conquistador de títulos do Rio de Janeiro.

Saudações Rubro-Negras!

P.S.: O que os tricolores vão ter para falar agora?? O único título que eles têm e nós não é o título da terceirona... Espero que a gente se enfrente na Libertadores!

Diogo Machado - Flamengo

3 Procura-se botafoguense


Vamos analisar o sacode de ontem. O Flamengo entrou em campo com um time mais defensivo, com Jailton no lugar de Kleberson. Normal, afinal o empate dava o resultado pro Flamengo. O graaaaaaande fogão (com a licença do Sá) entrou em campo disposto a cavar todas as faltas possíveis depois do meio-campo. A maioria das bolas era jogada pro paraibinha cai-cai, e ele se jogava. Não só ele, mas todos os jogadores do graaaaaande fogão.

Parecia até que o graaaaaande fogão tinha no time o Marcelinho Carioca. Do jeito que estavam se jogando, parecia que falta era gol certo pra eles. O Lucio Flavio errou todas as faltas que bateu. Errou até na falta do gol. Nosso grande (esse sim, grande) goleiro falhou feio, e colocou mais emoção num jogo fácil. Ele e o Ibson, que perdeu um gol que até o Obina faria.

Falam do Toró, mas bandido mesmo é o tal do Tulio. O marginal já chutou a cara de jogador caído no chão, mete a porrada todo jogo, o jogo inteiro, e ninguém fala nada. Mas tudo bem. Novamente o Toró anulou as jogadas do graaaaande fogão.

O segundo tempo foi molezinha. Já dizia a música: "Oh, que beleza! Mais um golaço do Obina de cabeça!" Com 4 minutos. O Cuca (perdedor nato) olhou pro seu banco e não viu ninguém de qualidade, ao contrário do Papai Joel, que tem um leque de opções. Colocou Obina, o iluminado, e Tardelli, que destruiu. Com a expulsão do maconheiro, tudo ficou ainda mais fácil.

Falando sério, alguém acreditava que o herói da decisão poderia ser um maconheiro que não fez nada em nenhum clube por onde passou? Só a imprensa mesmo pra querer inventar um mito maconheiro. Deu no que deu. De mito maconheiro já basta o Bob Marley.

Foi muito fácil. Difícil foi achar botafoguense pra sacanear. Eu tenho 278 "amigos" no Orkut. 4 botafoguenses. Aí me lembrei que o professor da academia é botafoguense. Eu, que nunca vou na academia segunda de manhã (e pouco vou nos outros dias também), acordei cedo e fui pra lá. Quando cheguei, a mulher da recepção falou: "O Professor Fabio não veio, ele está doente". hahahahahahhahaa...

Eu tenho pena do graaaaaande fogão. Por isso vou torcer pra eles na Copa do Brasil. É sério, vou deixar registrado aqui. Eu, Fernando Mora Vianna de Lima, estou torcendo pro graaaaaande fogão na Copa do Brasil. Um povo tão sofrido merece uma alegriazinha de vez em quando. E vou até tentar comparecer ao estádio, pra ver se a arquibancada fica com menos buraco.

Dessa vez não tem nem espaço pra chororô. Todos estão calados. Montenegro, Bebeto, Manequinho, a turma toda. Chorem à vontade, porque aqui é Flamengo! Um dia vocês aprenderão o que é ser grande!

Fernando Lima - Flamengo

04/05/2008

9 Valeu freguesia!!!



Obrigado meus fregueses. Mais uma vez campeão! O maior campeão do Rio!!! Não adianta desemerecer o campeonato carioca, pois todo mundo queria ganhar. Amanhã eu escrevo mais. Aquele abraço!!! Podem chorar à vontade!





Fernando Lima - Flamengo